O Mistério do Triângulo das Bermudas

O Triângulo das Bermudas consiste em uma região na parte ocidental do Oceano Atlântico Norte.

Imagem ilustrativa

Conhecido há décadas pela humanidade e muito discutido por alguns mistérios que o envolvem, trata-se de um lugar onde já ocorreu milhares de desaparecimentos. Desde então, estima-se que já desapareceram mais de 100 aviações, embarcações e aproximadamente mil pessoas que atravessaram ou tinham rotas passando pelo triângulo das bermudas.

Mas por que o nome Triângulo das Bermudas?

O famoso triângulo é uma área de aproximadamente 1,1 milhão de km² até 3,95 milhões de km². Esse nome é dado graças a forma geométrica que se forma ao ligar cidades no extremo desse espaço. Assim, demarca o lugar onde acontecessem os desaparecimentos. Essas cidades são Miami (EUA) e San Juan (Porto Rico), e o nome para isso é Bermudas.

Triângulo das Bermudas

Teorias

Temporalmente, muitas teorias se formaram após esses acontecimentos, teorias como campos gravitacionais e corrente do golfo. Também há pessoas dizendo que poderia ser um portal do tempo ou um lugar onde ocorreria supostas abduções alienígenas. No entanto, dentre essas e outras, uma teoria vem ganhando bastante força durante os últimos anos.

Navios desaparecidos?

A teoria tem seu conceito base de que os desaparecimentos estariam associados à liberação de gases que vem do fundo do mar. Atualmente há alguns fatores de que essa teoria está no lugar certo. Parece que os cientistas realizaram testes comprovando de que sim, é possível que alguns navios possam ter afundado. Enquanto tiveram contato com esses gases, afundaram e “desapareceram”.

Também há outro fato interessante que deu mais força a essa teoria quando foi descoberto e anunciado sobre crateras gigantes no mar de Barents, no litoral da Noruega. Dessa forma, a teoria é de que se formaram devido a uma liberação de gás metano no mar, isso seria um gás misterioso?

Como surgiram as crateras?

Apesar de o mistério ter um ponto forte e bastante interessante, os cientistas explicam que as crateras foram criadas por explosões de metano. Eles sugerem que isso ocorreu 11,7 mil anos atrás, enquanto é dito ser uma época em que não haviam tantos navios ou aeronaves como hoje.

Então acaba contradizendo os acontecimentos da atualidade. No entanto, caso acontecesse a mesma liberação hoje em dia, com a tecnologia moderna que temos seria muito mais fácil detectar as ondas sísmica que essas explosões de metano produzem.

Situações climáticas

Além disso, as crateras se formam através de longos anos com um período geológico específico. Quando a terra era coberta por gelo, basicamente situações e climas muito diferentes ocorreram. Em análise, a teoria mais convincente até hoje é sobre as situações climáticas que envolvem o local, palco das correntes marítimas mais fortes do mundo.